Rebite: conheça os perigos e efeitos da droga

Tempo de leitura: 5 minutos

Todos já ouvimos falar que o rebite é perigoso, mas você sabe o que é essa substância?

Muitos caminhoneiros optam por utilizá-la para poder cumprir prazos apertados ou executar mais fretes, pois ela, aparentemente, ajuda a conseguir dirigir por longas horas sem descanso.

De acordo com pesquisa da Confederação Nacional do Transporte (CNT), divulgada em 2016, 78% dos caminhoneiros não fazem exames toxicológicos e 45,6% admitem já ter recebido oferta de uso de algum tipo de droga ilícita a eles nas estradas, sendo o rebite a substância apresentada para mais de 90% deles. Desses, 26,5% admitem ter experimentado a droga oferecida.

Mas, você conhece os perigos e os efeitos e as reações que essa droga causa para o corpo? Continue a leitura e saiba mais sobre o rebite e as consequências do seu uso.

O que é o rebite?

Trata-se de uma anfetamina, uma droga sintética de alto poder de vício, que é procurada por quem precisa se sentir mais animado e agitado. Ela é um estimulante do sistema nervoso central, que faz o cérebro trabalhar mais depressa, causando uma impressão de diminuição da fadiga e aumento da capacidade física e mental.

Caminhoneiros normalmente utilizam o rebite para poder dirigir por muitas horas sem parar, mas muitos não sabem ou simplesmente ignoram os seus efeitos e consequências para o organismo.

A ação do rebite tem um período de duração curto e, sempre que ele vai chegando ao fim, o usuário sente a necessidade de ingerir uma nova dose para prolongar o seu efeito. E isso vai se repetindo ao longo do dia, o que faz com que o condutor crie uma dependência da substância.

O grande problema é que as anfetaminas são medicamentos que só podem ser utilizados com prescrição médica e vendidos com retenção da receita. Então, uma pessoa que não precisa desse tipo de substância corre sérios riscos ao ingerí-la, causando danos que podem ser irreversíveis à saúde.

Principais efeitos

São muitos os efeitos causados pelo rebite. As anfetaminas e seus derivados disparam reações químicas no sistema nervoso central que causam agitação, euforia, falta de sono e apetite.

Esse aparente comportamento excitado logo pode ser seguido por um abatimento e melancolia. Isso faz com que o usuário volte a consumir a droga, para afastar as sensações ruins. Então, começa o ciclo vicioso, fazendo com que o organismo se torne dependente da anfetamina.

O rebite age em vários órgãos, aumentando os batimentos cardíacos, a pressão sanguínea e a respiração. Tudo isso faz com que o corpo apresente diversos sintomas sérios. São eles:

Powered by Rock Convert
  • Boca e nariz ressecados
  • Irritabilidade
  • Diarreia
  • Suor ou frio intenso
  • Dilatação das pupilas
  • Comprometimento da coordenação motora
  • Tremor e inquietação das mãos
  • Visão desfocada
  • Confusão mental
  • Ansiedade
  • Dor de cabeça
  • Perda de peso e desnutrição
  • Problemas gástricos
  • Tontura

Consequências do uso do rebite/anfetamina

O uso prolongado do rebite pode trazer muitas consequências negativas para o usuário. Algumas delas são:

  • Desenvolvimento de quadros psicóticos ou paranóides
  • Ataques de pânico
  • Ansiedade
  • Violência, irritabilidade e agressividade excessivas
  • Impotência sexual e redução da libido
  • Lesões cerebrais mais severas
  • Depressão
  • Desorientação e descoordenação
  • Delírios persecutórios (achar que outros estão tramando contra ele)

É importante lembrar que o único remédio para um bom desempenho nas estradas é dormir bem e descansar. Encarar 12 horas no volante sem dormir é colocar em risco não apenas a própria vida, mas também a de quem transita pelas vias e rodovias do país.

Exames que detectam o uso da droga

O uso do rebite é identificado por meio do exame toxicológico, principalmente quando feito utilizando cabelo e unhas.

Esse exame é realizado em um laboratório. Ele pode acusar o uso de substâncias ilícitas nos últimos três a seis meses, dependendo do tipo de teste e material biológico coletado.

De olho na legislação

Desde 2016 é obrigatória a realização de exame toxicológico para todos que trabalham com transporte. Seja de carga ou de passageiros (carteiras C, D e E), no momento da renovação, emissão ou alteração da carteira de motorista. Ele também é obrigatório para contratação e desligamento de motoristas em empresas.

Leitura recomendada: Como Escolher Laboratório Para Fazer Exames Toxicológicos?

Os condutores flagrados em situações que apontem o uso de substâncias ilícitas ao volante são penalizados conforme a Lei nº 11.343 de 23 de agosto de 2006. No caso de ser autuado por posse de anfetaminas, o condutor deve comparecer, em data previamente definida, ao Juizado Especial Criminal da Comarca onde aconteceu a apreensão da droga.

As penas vão desde advertência sobre os efeitos das drogas, prestação de serviços à comunidade e medidas de comparecimento a programas e cursos educativos sobre o tema.

É importante criar a consciência de que usar drogas ou substâncias ilícitas não é a melhor solução. Além de serem um perigo para a saúde, elas podem causar acidentes e consequências irreversíveis.

Planeje suas viagens colocando a sua saúde e segurança como prioridades. E lembre-se: descansar é essencial!

Agora que você sabe um pouco mais sobre o rebite e seus efeitos, que tal compartilhar esse conteúdo com seus amigos nas redes sociais?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *