Aumento de acidentes nas estradas

Tempo de leitura: 5 minutos

Finalmente as férias escolares chegaram e os filhos estão animados para viajar! Contudo, tradicionalmente os meses de férias costumam ser os mais tensos nas estradas. Isso porque há um aumento na frota de veículos pelas rodovias de todo o país. 

Por esse e por outros motivos, acidentes tendem a ocorrer com mais frequência, seja de carro ou de ônibus. Nesse contexto, é necessário ter muita atenção ao navegar pelas estradas. 

Os outros motivos incluem a falha na fiscalização, consumo de bebidas alcoólicas, chuva, estradas mal conservadas e desleixo com o uso do cinto de segurança. 

Segundo uma pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde e IBGE, apenas metade dos brasileiros nas estradas utilizam o cinto no banco de trás do carro ou van. Enquanto isso, quase 80% das pessoas usam o cinto no banco da frente.

Outros dados conclusivos da Agência Nacional de Transportes Terrestres, mostraram que, em 2018, quase 30% dos passageiros de ônibus que passam pelas rodovias interestaduais utilizaram o cinto de segurança. 

São atitudes que contribuem  para o aumento de acidentes nas estradas e que precisam ser falados. Outras decisões também interferem nas causas de acidentes, como: a retirada de radares nas rodovias e o fim da obrigatoriedade do exame toxicológico. Confira as consequências dessas ações e quais as formas de diminuir os acidentes nas rodovias brasileiras. 

Impacto da retirada dos radares nas rodovias

O governo ordenou que a fiscalização da velocidade com aparelhos móveis fossem suspensos em todo o país. A razão dada foi a necessidade de reavaliação das leis de fiscalização de velocidade.

Além disso, o governo explica que a suspensão teve a intenção de diminuir “o desvirtuamento do caráter educativo”. 

O impacto negativo dessa decisão será o estímulo que os motoristas terão para navegarem acima de velocidade permitida, podendo causar acidentes fatais, em muitos casos. 

Impacto do fim da obrigatoriedade do exame toxicológico 

Quanto ao fim da obrigatoriedade do exame toxicológico, há um projeto de lei que apresentou a proposta de pôr fim a esse exame. Vale lembrar que hoje ele é obrigatório para motoristas das categorias C, D e E. 

Para esses motoristas, a realização desse exame se dá no momento de admissão e demissão de empresas ou renovação da CNH. O fim disso pode resultar em desvantagens para toda a população, principalmente no âmbito da segurança pública.

Outro impacto seria o aumento do valor do seguro do veículo e seguro de vida, devido ao chamado aumento de risco potencial do condutor, quando o motorista fica exposto ao risco de acidentes. 

Além disso, acidentes envolvendo veículos pesados são geralmente os mais fatais, pois, além da ultrapassagem do limite de velocidade, ainda há o fato de que os motoristas profissionais percorrem uma longa distância em uma única jornada de trabalho, algo cansativo para qualquer pessoa. 

Powered by Rock Convert

A má conservação das estradas e o descumprimento da Lei do Caminhoneiro também contribuem para acidentes. Essa lei visa a disciplina e garante os direitos dos caminhoneiros e motoristas de ônibus, com o objetivo de manter a saúde física e mental desses profissionais.

Portanto, lembre-se: a obrigatoriedade do exame toxicológico é uma das garantias para a diminuição das taxas de acidentes. Principalmente envolvendo motoristas da carteira C, D e E. 

Como prevenir acidentes nas estradas 

Primeiramente, é importante averiguar qual a rodovia você passará e quais perigos ela possa vir a ter. É preciso também respeitar o limite de velocidade desenvolvido pelo Código de Trânsito Brasileiro

Outra medida de prevenção é a atenção que todos os motoristas devem ter ao trânsito. As freadas bruscas, os faróis desligados, e a alta velocidade devem ser evitados.

Adicionalmente, mantenha uma distância segura dos outros condutores, pois quanto maior a velocidade permitida, maior deve ser a distância.

Preste atenção também nas chuvas de verão. Apesar de serem passageiras, a atenção deve ser triplicada devido a diminuição da visibilidade e da pista escorregadia. Em dias chuvosos sabe-se que os veículos demoram mais para frear. Portanto, a redução de velocidade deve ser levada em consideração.

Segundo dados do Conselho Federal de Medicina, os acidentes nas estradas chegam a quase R$ 3 bilhões em gastos para o SUS (Sistema Único de Saúde). Além de custar a vida dos passageiros e motoristas. 

Contudo, a vida vale mais! A fim de prevenir acidentes é preciso tomar cuidado redobrado para proteger a sua família, principalmente nessa época do ano.

Além desses cuidados, é preciso estar com a manutenção do seu veículo em dia. Muitos acidentes podem ser evitados se o seu automóvel foi checado por algum mecânico de confiança. Deve-se checar o freio, os pneus, a embreagem, o óleo, a água, os faróis, os pedais, o pisca-alerta e o alinhamento. Assim como o balanceamento e todo sistema elétrico do veículo.

Adicionalmente, não use o celular ou outros equipamentos eletrônicos enquanto dirige. Lembre-se que nenhuma ligação é mais importante que a sua vida. O ideal é deixar o celular no silencioso e fazer uma parada em algum posto ou restaurante para usá-lo. 

Considerações finais

Por fim, não use drogas, incluindo o álcool. O uso dessas substâncias afetam a sua direção e põe em risco a sua vida e a vida dos outros condutores. Além de afetarem a visão, o condutor tem a coordenação prejudicada e a sensação de tempo e espaço alterados. 

Somando a isso, dirigir sob efeito de drogas é crime!A pena pode variar entre seis meses a três anos de reclusão, com adição de multas e até suspensão da carteira de motorista. 

Ser fiel às medidas de prevenção de acidentes te auxiliará a manter a segurança nas estradas. Quer ficar por dentro de mais conteúdos sobre o tema? Acompanhe o nosso blog e saiba de tudo! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *